Pensamento de um português suave:Penso logo desisto...

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

SEM-ABRIGO, SEM NATAL!


Os seus dedos brincavam distraídos

Com uma gota de chuva que corria no chão!

Escreviam e desenhavam formas

Que só entendia o seu coração!...


A roupa já gasta, cansada

Escondia o corpo enfranquecido!

Já pouco restava ou nada

Apenas seu olhar, entristecido...


Em passo acelarado

Ignorando a pobreza

Todos o olhavam de lado!

Desdenhando sua fraqueza

Chutavam-lhe, um olhar enojado!


Falei-lhe:

Comia a sopa dos pobres

Cobria-se com as estrelas

A noite mágica do Natal

Para ele não existia!

Recebia a chegada do Menino

Da mesma forma pobre e igual

Há do mundo que ele vivia!..


O Mundo de um sem-abrigo...


Sem Natal e sem abrigo

Tem o frio por companhia

Como família o castigo

Da música do esquecimento!

A ceia servida fria

São lascas de sofrimento!...


No regaço da calçada

Esquecido da Sociedade

Apenas roga uma Mão

Que lhe ofereça dignidade

E uma nova morada

Distante da solidão...



22 comentários:

Parisiense disse...

Triste realidade, mas bem presente no nosso dia a dia.

Passei para te desejar um Natal dentro do possível feliz, com muito amor, carinho e sobretudo muita paz.

Um beijinho muito grande cheio de carinho.

Je Vois la Vie en Vert disse...

São os esquecidos que vivem muitas vezes no seu mundo porque meio mundo nunca mais olhou para eles.
Mas ainda há belas almas que deixam o conforto da casinha à noite, mesmo no Natal para trazer um pouco de carinho a estes sem-abrigos. Estas pessoas têm toda a minha admiração !

Desejo que possas passar este Natal calmamente onde te sentires melhor.

Muitos beijinhos, querida amiga Soledade.

Verdinha

*Lisa_B* disse...

Querida Soledade,
tinha escrito um enormissimo comentario que o pc perdeu quando a net foi abaixo:-(
Ficam os votos de um Natal Feliz (dentro das possibilidades que o coração sentir e situação deixar)

O poema está muito bem e pertinente para a época. Sei muito bem o que eles passam.
Ajudo um sem abrigo apesar de não poder fazer muito financeiramente lavo-lhe as roupas, passo a ferro e dou algum comer e atenção. Muitos precisam disto acima de qualquer euro que se lhe dê.

Beijinhos com carinho

Maria Soledade disse...

Minhas queridas Amigas:Este sem-abrigo é bem real.Foi nele, ou melhor, na sua pobre vida que me "inspirei"e por ele e todos os sem-abrigo esquecidos pela nossa Sociedade que fiz este pequeno trabalho.

Para todas voçês um Natal com muita paz mas, sobretudo,recheadinho de MUITA SAÚDE.

Um grande beijinho dos meus

MUUUAAAHHH******

Maria disse...

Que triste, verdadeiro e lindo poema, querida Sol.
Como se pode viver assim? E cada vez são mais. É horrível passar pelas ruas iluminadas de Lisboa, e vê-los, enrolados em farrapos, restos de cartão, jornais. É triste estar quentinho em casa e, pensar que a carga de água e trovoada, os apanham em cheio, sob aqueles "restos", eles que também são "restos". Restos de vida, farrapos de almas, com rostos de seres humanos.
Beijinho, Kida.

Osvaldo disse...

Soledade;

Que comovente e emotiva "Crónica de Natal"...

Também Jesus, ao nascer numa gruta e dormir seu primeiro sono numa mangedoura, nasceu "sem-abrigo"!...

Que o Espírito de Natal ilumine as mentes dos todo-poderosos lideres das Nações e que se acabe para sempre a vergonha de haver parte da humanidade sem um teto para dormir e sem um lar para residir.

Feliz Natal, Soledade, votos estes extensivos aos teus familiares.

bjs,
da Ana e meus.

Laura disse...

Tristes almas sofridas
num mundo que se torna irreal
esquecendo as dores de quem sofre
mesmo sendo Natal!

Falaste-me dele
do "teu" sem abrigo
homem magro, franzinho
de peles ressequido!

Contas-te-me que todos os dias
ficas um pouco com ele
o agasalhaste também
e Deus não esquece ninguém!

O destino dele é sofrido
e quem sabe para isso contribuiu
com alcool e outras formas de ser
que a sua vida denegriu!

Lamento por ele e por todos
os que não são capazes
de se condoer
de quem vêm a sofrer!

Por acaso nem o vi
ontem não estava ali
no lugar onde ficava
mas a rua estava encharcada!

Para a próxima vez que aí for
hás-de apresentar-me esse senhor
basta ser uma alma sofredora
para ter todo o meu amor!

Beijinhos nina sol e até lhe dariamos dos teus bolitos, foi pena, para a próxima levo mais, mas, porque não o ajudam de outra forma, de forma a que não precise de vvier na rua? Não existem entidades para resolver esses grandes assuntos?
Um xi d alaura

Bichodeconta disse...

Que triste e vergonhosa realidade a nossa Maria Soledade.Por mais apetitosas que sejam as ceias Natalícias, dúvido que haja alguém a quem um nó na garganta não impeça de estar completamente feliz.O poema é magnífico e esse teu doce coração merecia estar menos sofrido.Pelos vistos cada um de nós está constantemente a ser posto á prova. Vou estar só na noite de Natal , mas tenho um tecto, uma cama muito confortável, comida que não sendo a tipica de Natal, será a que quizer. E claro, alguém tem de trabalhar neste País onde cada vez o desemprego se instala mais.O meia laranja estará a trabalhar, estou só fisicamente, mas sei que estou no coração dos que me amam, e no meu coração há amor para dar e sempre que possível arranjo maisalguma coisa com que possa minorar o sofrimento dos outros . Felizes os que estando só estarão apesar disso no conforto do lar. Os sem abrigo é um dos flagelos da humanidade que a par de outros me deixam triste e me fazem sentir impotente, gota de água num mar de coisas por fazer.Felizes sejam os teus dias e os de quem como tu se preocupa com os outros nem que seja num simples olhar de ternura.Amén.Um beijinho, Ell

mundo azul disse...

_________________________________

Infelizmente, estamos todos imersos num mundo de dualidades, onde os opostos, obrigatoriamente existem... Que os nossos pensamentos sejam de muita luz para aqueles que sofrem, não apenas o sofrimento físico, mas, principalmente o sofrimento emocional, mental, espiritual...


Beijos de luz e o meu carinho muito especial!!!

__________________________________

Daniel Costa disse...

Soledade

Um poema encantador, muito verdadeiro, que demonstra o teu sentimento, na procura de um norte de sincero alento.
É tempo de Natal, sonhar com um mundo melhor, reconfortará um pouco o espírito.
Beijos de consideração e de pura amizade.
Daniel

Pena disse...

Amiguinha:
Um belo e delicioso poema de uma realidade sofredora em tempo de Natal que não observa, não enfrenta a realidade dessas pessoas que são pessoas como nós.
Tenho pena que o Mundo seja assim tão injusto.
Um Feliz Natal com a família repleto de bem-estar, tranquilidade e harmonia.
É linda, sabia?
Parabéns sinceros pelo extraordinário versejar sensível e doce. Adorei.
Será que não existente uma solução urgente...?
É culpa de quem? Não deveriam existir, sem amor, dedicação e acompanhamento. Os meus votos de Feliz Natal especialmente para eles.
Bem-Haja, fabulosa poetiza brilhante.
MUITO OBRIGADO pela ternura deixada expressa no meu blogue.
Beijinhos amigos.
Tudo de Excelente!
Sempre a admirar a fantástica poetiza que é.

pena

Laura disse...

Nina Sol, nada disseste do filme, a menina não o viu ainda, não deu tempo? penso que se o visses já tinhas dito..os actores? merecemos Óscar? beijinho e abraço apertadinho, da laura

Je Vois la Vie en Vert disse...

Passei aqui para te deixar um beijinho e um abraço muito apertadinho para te dar um pouco de calor a ajudar-te a passar esta quadra que normalmente deve ser passada em família, no calor e na alegria que não vai encontrar nos corredores do hospital.
Gostava muito de viver ao pé de ti, assim podia te dar mais apoio. Penso muito em ti, sabes, mulher guerreira ! Tenho uma imensa admiração e muito carinho por ti !
Sabes que também tenho um amigo sem-abrigo . Já coloquei uma foto dele (com a sua autorização) para ilustrar um dos meus posts.

Beijocas natalícias

Tua amiga Verdinha

Vento Norte disse...

Lita

Esse sem-abrigo, como muitos outros, infelizmente perdeu tudo, excepto a capacidade de sonhar.

Tu não, comparado com ele tens tudo.

Que seja um exemplo para ti e todos nós.

Feliz Natal, irmã

Beijo

Jorge

Kim disse...

Desejo que o SOL que teima em não te iluminar, se abra por completo e te aqueça a alma.
Um beijinho Soledade e Feliz Natal

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Maria, que o natal seja também um momento de reflexão do que somos e fomos nesse ano que passou!

Boas festas e até mais.

Jota Cê

Ana Martins disse...

Lindo poema Soledade, uma homenagem aos mais desfavorecidos e quase sempre esquecidos. Nesta quadra de amor e solidariedade reflitamos todos para que possamos sentir se sempre fizemos tudo o que estava ao nosso alcance para ajudar quem precisa.

Adorei o poema, só podia vir de uma pessoa assim sensível.

Beijinhos e um Santo e Feliz Natal com muita saúde, áz e amor.

As melhoras do teu marido que espero e desejo esteja a recuperar bem

Beijinhos,
Ana Martins

Laura disse...

Olá, renovando sonhos e esperanças, conseguiremos entrar no novo Ano com a vida a seguir os seus caminhos, mas, em Esperança, um tico de alegria, e paz, muita paz na alma é o que falta, também..
escrevi estes versos para o grupo de Tabuaço, logo, estás lá incluida e não foste pela parte que se sabe, e assim,, quem sabe, para o Ano será tudo melhor..e estarás presente connsoco, junto da nossa estrelinha, ou seja, nós somos duas ninas que amam a sua estrelinha! Estrelinhaaaa do coração da gente..
Um beijinho da laura


Passaram os dias festivos
voltaram ao mesmo de sempre
acabaram-se os sorrisos
somos os de antigamente.

Corpos entorpecidos
pelas canseiras da vida
os risos mais reprimidos
e a vida seguindo a vida.

A mente essa cansou-se
de pensamentos positivos
pensa que não basta pensar
para nos sentirmos vivos.

E lá estamos nós outra vez
a pensar que ainda falta muito
para ser Natal e voltar ao frenesim
que me faz lembrar a mim

Que a minha festa será antes
muito antes de o Natal chegar
e só me preocupo com ela
quando vir os meses passar.

Até lá, ó minha gente
desejo-vos o melhor de tudo
que passeis um bom Entrudo
e alcanceis a Primavera

E que o Verão esteja já
à nossa espera,
para que Setembro chegue
feliz como sonhada quimera.

Assim, vou passar o tempo a voar
com o pensamento retido
nos lugares que visitei
os quais tanto amei.

E recomeçar novos sonhos
criar cenários e rostos
risonhos, momentos de amor
alegria, esperança, calor.

E Setembro chegará enfim
será feliz para ti e para mim
e mostrará a todos os que se querem
que o Amor existe, não desesperem!...

Beijinhos da vossa nina, laura

Laura disse...

Ai Sol, melhor que um escalda pés, a receita que me deste... Vou ver se consigo ir ao poro a correr, já que um gatão é mais dificil e arranjar, um que não arranhe nadinha, senão...

Beijinhos mil a ti. laura

Bichodeconta disse...

Feliz ano a ti e aos teus.Que o marido jáesteja melhor e assim se mantenha são os meus desejos.É bom passar por aqui..

direitinho disse...

Bom dia
Passei por aqui neste vaguear dos dedos no espaço virtual, procurando encontrar fontes de água pura que saciam a sede de aprender mais em cada dia.
Gostei do que li e por isso decidi seguir o teu espaço.
Desejo-te um Ano Novo repleto de coisas boas.
Paz e Bem

Je Vois la Vie en Vert disse...

Querida Soledade,

Passei para te deixar um abraço caloroso nestes dias frios da tua vida !

Muitos beijinhos

Verdinha