Pensamento de um português suave:Penso logo desisto...

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Na Primeira Pessoa


Na Primeira Pessoa


Que estaríam os meus pais a pensar
Enquanto eu era fecundado?
Num colo que me iría embalar
Ou tão sómente me víam
Como um bebé abortado?!

Bastou apenas um momento!
Aventura sem precaução,prazer?
Um impulso sem pensar
Deu início à minha vida
A vida que iríam roubar...

A parte frágil sou eu!
Eu, que nada fiz de mal
Numa luta desigual
Ouço dizer os meus pais
Que abortar-me é mais sensato!!

Com armas tão desiguais
Eu, tão frágil... lá parto!!!

6 comentários:

Savonarola disse...

Um belíssimo poema. O apelo da verdade, nua e crua. Todos somos responsáveis e, ao mesmo tempo, vítimas...
Saudações cordiais

Ana Martins disse...

Olá Soledade, vim agradecer seu comentário ao poema que escrevi em homenagem a Flávia e sua tão corajosa MÃE, e que publiquei na Voz do Povo, quero felicitá-la por este poema lindissímo, que a todos diz respeito e no qual pelo menos uma vez na vida devíamos parar para pensar, parabéns.
http://www.avesemasas.blogspot.com/
Este é o meu blogue.
Ana Martins

Ana Martins disse...

Soledade não resisti vir aqui mais uma vez falar consigo, já que também tocou bem forte nesta ferida que ainda não sarou.
Eu perdi o meu pai bem mais tarde, tinha já 34 anos, casada, mãe de um filho e grávida do segundo. Já se passaram 9 anos, mas esta dor continua igual ao dia em que ele se foi. Todos os dias penso nele e é por ele que quase todos os dias choro, e tudo porque o meu pai era simplesmente fantástico.
Um beijinho e tudo de bom para si, do fundo do coração.
Ana Martins

Mário Margaride disse...

Olá Soledade, obrigado, pela tua visita e comentário no meu "cantinho poético".

Aqui nestas breves palavras, defines na primeira pessoa, a mulher de corpo inteiro que és.

Gostei de conhecer-te um pouco mais.

Beijinhos de amizade, e solidariedade.

Mário

maria paula disse...

E a mana a seguir a mim
é morena,escritora, poetisa, artista,lutatora,vencedora,refilona e... dona de um grande coração.
Mas eu sou suspeita.Para mais informações é só visitar o Jardim das Urtigas.
Não sabem onde fica?
Aqui mesmo, na Avenida dos Afectos, sem número de porta e oh!esqueci-me do código postal. Não faz mal.Já é meio caminho andado com esta indicação, não se esqueçam, é sempre em frente...

Para ti beijinhos
Xi cora

Maria Soledade disse...

Mana,tens feito comenários belissímos, mas este...oh, 'tá demais...aínda tu dizes que eu sou "tola", mas tu agora superaste-me!!!!!!!

Obrigada. Tu és branquinha,olhos castanho-verde,bonita,inteligente,elegante,muuuuuito refilona, mas nas alturas certas da vida, estás SEMPRE lá...

Ah,esqueci!Reformada também,sim,porque isso só revela que trabalhaste muito, para hoje conseguires estar sentada a "computar" sem preocupações de transportes,e, mais,e, mais, e, mais...

Beijinhos****