Pensamento de um português suave:Penso logo desisto...

sexta-feira, 30 de abril de 2010

O PAÍS EM RISCO?!


O País em Risco?! Só agora?!

E porquê esta demora

Em revelar a verdade?

Cambada de sanguessugas

Que em riacho de humidade

Fedendo sómente a chulé

São piores do que ralé!...


Todos sabiamos...


Que há muito que este país

Tinha a corda na garganta

Que é assim como quem diz

Andava manca que manca...


Só que o país gangrenou!

E o povo que o sustentou

Leva o corte pela raíz

Que é assim como quem diz:

Aperta o cinto Zézinho

Que nós por cá...TUDO BEM!

Nós mamões, vós povinho

Nós mamões ter um refém!

Um Zé-Povo PARADINHO!!!!!


Iremos ser nós de novo

Sugados até ao tutano

Porque o país 'tá em RISCO!

E enquanto o Zé do Povo

Vê comida por um cano

Os mamões comem marisco!!!


Vamos lá decidir

Vamos lá ACORDAR!!

Já é hora de enxotar

Esta cambada nojenta!

Sirvamos o prato da LUTA

Modemos nós a EMENTA...




Mais uma vez seremos os" grandes responsáveis" por a situação a que chegou o país!!!Sim, porque somos nós que estamos a ser chamados à" pedra "para remendar o défice orçamental !! Porque não começar por quem nos tem chulado ao longo já de tantos anos???Porque não acabar com vencimentos milionários,com tantos assessores,secretários, gestores?Porque não acabar com reformas acumuladas, e tantas, tantas outras "obscenidades" que vão carcomendo o orçamento do país? PORQUÊ????? CABE-NOS A NÓS DECIDIR...

20 comentários:

Felina Mulher disse...

Acontece que a memória do povo é fraca...o povo de (tds os países)precisa saber eleger seus representantes pra depois nao se arrepender.

Obrigada amiga pelas palavras,mas Se eu disser pra você que hoje acordei triste, que foi difícil sair da cama, mesmo sabendo que o sol estava se exibindo lá fora e o céu convidava para a farra de viver, mesmo sabendo que havia muitas providências a tomar, acordei triste e tive preguiça de cumprir os rituais que faço sem nem prestar atenção no que estou sentindo....Tem dias que não estamos pra samba, pra rock, pra hip-hop, e nem pra isso devemos buscar pílulas mágicas para camuflar nossa introspecção, nem aceitar convites para festas em que nada temos para brindar. Que nos deixem quietos, que quietude é armazenamento de força e sabedoria, daqui a pouco a gente volta, a gente sempre volta, anunciando o fim de mais uma dor – até que venha a próxima, normais que somos.

Um grande beijo minha amiga queridaaa!

direitinho disse...

Está claro o teu grito de revolta.
Chegou ao fim a cantiga do bandido que se agita e grita no meio da praça, mas ele é apenas o chefe dos bandidos que se banqueteiam.
O povo não tem chefes e vive oprimido e desorganizado. Cada dia estamos mais fundos sem poder sair destas vidas em que nos meteram. Mentem, mentem e vão conseguindo assegurar o poleiro para sí e para os gorilas que roubam despudoradamente.
Até as mais altas instâncias são coniventes no assassínio do país e do seu povo.
Votos de uma boa semana.

Daniel Costa disse...

Maria da Soledade

O bonito poema, vamos lá até o posso considerar elegante de bem escrito. Deve também considera-se cuntudente, quando é que a cambada de mediocres, repõe pelo que se faz distribuir e passa a receber o mínimo nacional? Não mereceriam mais, deviam ter vergonha da nula previsão. O Verão passado, quando enconomias fortes, como a da Alemanha, aquele país já se preparava para fazer face à crise mundial que de adivinhava, os incompetentes dos governantes portugesses, apareciam nas televisões, contentinhos da silva, a dizer que Portugal era o oásis da Europa. E agora não têm a dignidade de pedir a demissão?
Ah, o Carocha não era meu, estávamos em 1966, só viria a poder adquirir em 1969.
De resto fiquei a considerar-te, já tenho passado e esperava. Aos amigos deseja-se que se refaçam.
Beijos
Daniel

Daniel Costa disse...

Maria da Soledade

O bonito poema, vamos lá até o posso considerar elegante de bem escrito. Deve também considera-se cuntudente, quando é que a cambada de mediocres, repõe pelo que se faz distribuir e passa a receber o mínimo nacional? Não mereceriam mais, deviam ter vergonha da nula previsão. O Verão passado, quando enconomias fortes, como a da Alemanha, aquele país já se preparava para fazer face à crise mundial que de adivinhava, os incompetentes dos governantes portugesses, apareciam nas televisões, contentinhos da silva, a dizer que Portugal era o oásis da Europa. E agora não têm a dignidade de pedir a demissão?
Ah, o Carocha não era meu, estávamos em 1966, só viria a poder adquirir em 1969.
De resto fiquei a considerar-te, já tenho passado e esperava. Aos amigos deseja-se que se refaçam.
Beijos
Daniel

Daniel Costa disse...

Maria da Soledade

O bonito poema, vamos lá até o posso considerar elegante de bem escrito. Deve também considera-se cuntudente, quando é que a cambada de mediocres, repõe pelo que se faz distribuir e passa a receber o mínimo nacional? Não mereceriam mais, deviam ter vergonha da nula previsão. O Verão passado, quando enconomias fortes, como a da Alemanha, aquele país já se preparava para fazer face à crise mundial que de adivinhava, os incompetentes dos governantes portugesses, apareciam nas televisões, contentinhos da silva, a dizer que Portugal era o oásis da Europa. E agora não têm a dignidade de pedir a demissão?
Ah, o Carocha não era meu, estávamos em 1966, só viria a poder adquirir em 1969.
De resto fiquei a considerar-te, já tenho passado e esperava. Aos amigos deseja-se que se refaçam.
Beijos
Daniel

Je Vois la Vie en Vert disse...

Querida amiga,

Tens toda a razão naquilo que dizes pertinentemente bem e com rimas !
Já estava tudo mal nas últimas eleições mas tantos tiveram medo de mudanças. Deixaram andar e onde é que chegou !!!

Não costumo assinar petições mas desta vez, revoltou-me a ousadia desta deputada socialista e contribuí com a minha indignação assinando :
ver petição aqui

Querida amiga, sabes que sorriso que deixei no meu cantinho foi escrito com tristeza ?

beijinhos

Verdinha

Laura disse...

Minina isto vais nos mal, minina eu sempre disse que Povo que só canta num ajuda a deitar fora o lixo, o povo tem de se unir mas cada um apenas puxa a brasa á sua sardinha, logo, fica sempre o interesse d euns e outros quee é quase sempre o mesmo, fazer dinheiro comprar luxos e mais nada...
eu a quem a vida nem tem sido de grande ajuda continua, a culpa é nossa é de todos os que estando bem,se negam a querer fazer algo e os que estão mal, se deixam estar assim...tudo como dantes no quartel em Abrantes...tal e qual
Beijinho e abraço apertadinho da laura

Ricardo Calmon disse...

Estou a aguardar as coisas pipocarem aqui aussi,querida Sol,assim como no mundo inteiro,um verdadeiro de grego presente!
Saudades mil,feliz por ver voce entre nós!
Toda luz do mundo SOL!

Viva La Vida!

Maria disse...

Kida Sol
O país não está em risco, está cheio deles. Nós estamos todos lixados.
Gostei do poema.
Beijinhos
Maria

Felina Mulher disse...

Trouxe-te um beijo minha flor e que Deus Ilumine teus caminhos e muita força para tua caminhada.


Bjinhos.

Laura disse...

O povo só vai acordar quando ouvir de novo o troar dos canhões...das tropas estrangeiras a tomar o Pais..vais ver,a té aqui acomodam-se gostam da sorna da tarde e do café da manhã, gostam de ter calma e lá fora matam-se a trabalhar e fazem overtime, aqui' num chega tem mais que fazer, vais ver em breve...eu ja nem me espanto com nada....
beijinho e abraço apertadinho, laura

Osvaldo disse...

Soledade;
Infelismente parece que em Portugal o povo só conhece uma música e é do "vira o disco e toca a mesma"...

Há crise, o país está se arruinando, não há justiça, há corrupção de bradar aos céus, segurança é "cada um por si e Deus por todos", mas o povo, o Zé Povinho mais parece mulher de malandro; Quanto mais apanha, mais gosta.

bjs, Soledade.
Osvaldo

Ricardo Calmon disse...

Um presente recebi ,em overture essa,VOCE,amada Sol ,inesquecível amiga,que bom,regresso teu para campos meus de girassois,perceba ,como eles todos ,semblante teu miram!
Me fizestes de emoção chorar,de alegria fundamentada!

bzu mãos suas!

viva la vida

Laura disse...

Sol, Sol nina do meu coração, vim apenas pegar na tua mão, por momentos, por instantes... e deixar-te um enorme e apertado xi coração..laura

Fa menor disse...

Comecei por sorrir com o poema... um sorriso amarelo, já se vê!

E, sim, acho que a solução passaria por aí:
"começar por quem nos tem chulado ao longo já de tantos anos"
"acabar com vencimentos milionários,com tantos assessores,secretários, gestores"
"acabar com reformas acumuladas, e tantas, tantas outras "obscenidades" que vão carcomendo o orçamento do país"

Força, amiga!
Beijinhos

Laura disse...

A culpa é toda nossa
só nossa, nossa, nossa
a culpa é da gente
que os vê fazer tudo
e não faz mossa.

A culpa é de quem sabe
que as coisas andam mal
e espera pacientemente
que tudo volte
ao normal.

E enquanto o tempo passa
a vida fica desgraça
o pão começa a faltar
e o povo mais não faz
que desatar a ralhar.

Mas desta vez já é tarde
não vamos ficar melhor
os ladrões continuam a roubar
a viver á rica e melhor
e o povo fica a esmolar.

E continua a pensar
que mais vale ir á igreja
ajoelhar e rezar
enquanto espera sentado
que haja alguém
para o barco comandar!...

Mais diria por ali abaixo minha querida Sol, e ao memso tempo nada diria porque estamos de tal maneira acobardados que já nem sabemos por onde começar.
Aquele apertadinho abraço da mana laura

Daniel Costa disse...

Maria Da Soledade

Desejo deixar cumprimentos, pela pessoa que és e por estar a postar de novo o AMOR NA GUERRA,dotando-o de fotos digitalizadas do meu arquivo. O ojectivo é publicar em livro, como está a acontecer ao LISBOA CAFÉ que sairá no próximo mês. Creio que respondi à questão fomulada, no teu comentário ao capítulo de hoje, renovo: escrevi diário, sempre com o pensamento em editar. Só assim é possível ser preciso. Segundo me tem sido dado saber o diário pessoal da guerra será muito raro.
Beijos
Daniel

Laura disse...

Fim de semana, mais uma sexta feira daquelas em que não se vai para lado nenhum, aliás nunca se vai, ja tenho saudade de postar aqueleas nossas sextas feiras malucas, quem sabe para a semana...Beijinhos minha querida manita..laura

Ana Martins disse...

Estou atrasada amiga mas mais vale tarde que nunca, e sendo assim os meus aplausos hoje vão para ti, pela força, coragem e bravura que puseste neste fantástico poema que é também um grito de revolta legítimo!

Beijinhos,
Ana Martins

Je Vois la Vie en Vert disse...

Passei para te deixar um beijinho e te desejar um fim de semana calmo.

Verdinha