Pensamento de um português suave:Penso logo desisto...

quinta-feira, 10 de julho de 2008

À minha Mãe


Mãe, foi no mar
Nesse mar
Que embala a côr do céu
Que um dia encontraste
O homem que virias a amar...

Mas o teu amor partiu!
O som do violino chorou!
Mas ficaram as músicas
Cinco músicas
Do homem que tanto te amou...

Com acordes diferentes
Mas compostas com emoção
Todas elas afinadas
Pelo mesmo diapasão...

Somos cinco
Cinco, como os dedos da mão
O mindinho, o anelar
O médio, o indicador
E o mais pequeno o polegar...

Foram os ecos do passado
A sua música,a poesia
Que fizeram secar as lágrimas
Que o teu peito escondia...

Se em vez do silêncio
A alma pudesse falar
Temo com toda a certeza
Que tinha muito p'ra contar...

4 comentários:

Ana Martins disse...

Um poema fantástico que revela o grande amor que dedica a seus pais, e o sublime sentimento que os uniu.
A vida tem destas coisas Soledade, prega-nos grandes partidas, desgostos terriveis, mas nós temos que ter força e conseguir viver com eles...
Beijinhos

João Videira Santos disse...

Aqui se define tudo numa história de sentimentos...Gostei!

maria paula disse...

Grandioso! Belo!
Tenho muitas saudades do som do violino tocado por aquelas mãos tão morenas, como as tuas e as da nossa sobrinha pequenita que também já começou a tocar.
Quanto ao poema da mãma, já dsse: GRANDIOSO, BELO
Agora, com licença, vou secar as lágrimas teimosas, que eu até nem sou de choraminguices...
A vida, bem cedo me tornou mulher e de repente, sem ter tempo daquela despedida a que estávamos habituados.

XI CORAÇÃO

Maria Soledade disse...

BOLAS MANA!!!

Só agora te consigo agradecer as tuas palavras,fiquei lavada...em lágrimas!

Sabes, custou-me muito escrever este poema porque enquanto escrevia,só chorava...

O tempo passa, mas as saudades cada vez apertam mais.Não é fácil escrever seja o que for que faça lembrar o Papá, mas, tinha de o fazer porque a Mamã MERECE.

Bolas,bolas,bolas...

Vou ali, e já volto:(

BEIJINHOS****