Pensamento de um português suave:Penso logo desisto...

segunda-feira, 14 de julho de 2008

PARTISTE SEM AVISAR!...


Pai
Partiste sem avisar!
Nem tempo de sobra ficou
P'ra um último beijo te dar!...


Pai
Ficou p'ra sempre
Uma lágrima

Que teima em não querer
Secar!

Subiste à nuvem mais alta
Puseste asas de rapina
Foi muito injusto esse vôo
Deixaste-me ainda menina!...


Emudeceu para sempre
O som do teu violino!
Choraram os seus acordes
Que tinham sabor divino...
Deixaram muitas saudades
As tuas mãos que pintavam
Deixaram muitas saudades
As tuas mãos que mimavam...


Pai
Partiste sem avisar!
Ofereceste ao grande Céu
Os teus olhos verde-mar...


Pai
Partiste sem avisar!
Ficou p'ra sempre
Uma lágrima

Que teima em não querer
Secar!...


Pai
Se podes olhar vê!
Se podes ver repara
Que se torna muito curta
A distância que nos separa!...


Partiste sem avisar!
Ficou p'ra sempre
Uma lágrima
Que teima em não querer
Secar!...

6 comentários:

Mário Margaride disse...

Querida amiga: doi sempre muito perder um ente querido. Mas é esta a realidade da vida...

Belo poema! Bela homenagem!

Beijinhos e uma boa semana!

Mário

maria paula disse...

O som do violino está sempre no meu coração.
Os olhos verde mar, quando bate o sol, "espreitam" o meus,tons de castanho claro e fica uma misturazinha que eu gosto.
Aquelas mãos morenas de grande artista ficaram contigo e com o mano Zé.
O seu modo dócil que não há igual, ( mas também exigente como é preciso ), escuto-o quando quero! Agora que tenho tanto tempo livre, dói muito mais a saudade. Mas sabes, no seu assento etéreo, o Papá está muito feliz. E ele que era tão enérgico, ainda tem mais trabalho, cuidando do seu rebanho.
Somos muitos e os seus braços estão bem abertos para proteger a prole.
E agora é só para ele:
Sabes, Papá, os teus netos, adoram-te. Todos têem um carinho especial pelo Avô Manuel e sabem que foste um grande homem.
A tua imagem também está nos seus corações e há a pequenita, tão morena como tu, que já toca umas coisitas no vilolino, já ouviste com toda a certeza, gostaste?
Não esquecendo os poemas lindos da outra morenita que tem uma admiração por ti, sem fim!
E por agora fica um beijo do tamamho do paraíso para onde foste sem dizeres até amanhã ,meus queridos.
Mas um dia, quando for ao teu encontro, compensaremos isso tudo.

Xi cora para mana

Maria Soledade disse...

Olá mana:Como sempre tens o "dom", com as tuas palavras tão bem construídas(quiça herança!),deixada da nossa parte materna, de enfeitares os textos de forma a que uma lágrima,aquela,a teimosa,acabar sempre por escorregar...

É mana, volto a dizer-te:O tempo passa, e,a saudade toma cada vez mais conta de nós!!

Tomara que fosse verdade o ditado que diz:O tempo se encarrega de curar as feridas...pura mentira!!

Beijinhos*****

maria paula disse...

O tempo só cura as feridas que não doeram muito.

As outras ficam e doem eternamente.Há uma que nenhum especialista sabe medicar, chama-se: saudade.

Bjs

Ana Martins disse...

Querida amiga,
Que poema tão doce, que bela homenagem...
Beijinhos grandes

Anónimo disse...

que poema lindo! Sei o que está a passar! Perdi o meu pai há pouco mais de um mês e tenho apenas 15 anos. Sei o quanto doloroso é ...