Pensamento de um português suave:Penso logo desisto...

quarta-feira, 16 de julho de 2008

VIDA DE GENTE POBRE


Maria, recebe a madrugada
Com seus olhos de amargura!
Acorda de novo cansada
Mas firme e muito segura
Sossega no colo o bebé
Na saia a filha agarrada
E subindo sempre a pé
Gasta as pedras da calçada...
Sorve a sopa a correr
Fingindo que está a almoçar!
Esquecendo que está a sofrer
Continua a trabalhar...
É vida de gente pobre
Rasgada p'la triste sina!
Mas coração muito nobre
Que muitas lições ensina...
No seu colo acolhedor
Ao ritmo do seu balançar
Benzendo-se pede ao Senhor
Que deixe seus filhos criar!
Enquanto o pai pescador
Ora também ao Senhor
Ao lançar o barco ao mar...

3 comentários:

maria paula disse...

Na minha caminhada profissional de mais de trinta anos, vi muitas
Marias carregando seus filhos logo de manhã bem cedo.
Um ao colo, outros pela mão, esperando em longas filas de paragem de autocarro, ao frio matinal do inverno ou, à tarde no verão, com as crianças cheias de calor.
Vi-as, também, depois de um dia de trabalho, cheias de sacos, rosto cansado, confortando os seus rebentos, ansiosos pela chegada a casa.
Eu pensava que tinha muita sorte. O meu filho mais velho não precisou destas torturas. Esteve sempre rodeado de mimos da família, numa casa grande com quintal para as suas brincadeiras. A sua escola era muito perto.
A mais nova, na viagem de regresso, lá vinha de autocarro, e às vezes, como era aborrecido!
Mas tudo passou.
Eu continuei a trabalhar, observando até ao fim da minha carreira, esta mães tão sacrificadas.
Para todas as Marias que continuam a subir calçadas, carregam filhos, trabalham doze horas por dia e às vezes, não têm pão para si , vai o meu grande apreço.
A todas desejo que possam criar os seus filhos com mais tranquilidade. E depois de uma vida de labuta que tenham direito a uma reforma digna , como eu tive.
Obrigada, MEU DEUS e protege todas as Mães do meu País!

Xi coração

Maria Soledade disse...

Lindo Mana,que bem interpretas-te o meu poema.
Eu, escolhi uma Maria,mulher de um pescador,mas queria chegar a todas as Marias, que,não olham a sacrificios, sempre em prol dos seus filhos.

Mais um dos teus belos comentários!..

Obrigada/Beijinhos GRANDE MÃE

Ana Martins disse...

Soldedade,
existem muitas MARIAS no nosso País e por esse mundo fora, e com os tempos que se avizinham muitas mais irão existir.
São MULHERES que sofrem caladas e que mesmo assim têm sempre um sorriso e uma palavra de conforto para os que amam. São pessoas RICAS DE ESPÍRITO E DE CORAÇÃO MUITO NOBRE.
A todas as MARIAS DO MUNDO, eu presto a minha homenagem.
Beijinhos