Pensamento de um português suave:Penso logo desisto...

domingo, 13 de julho de 2008

O MEU BEBÉ...GRANDE!

Concebida e gerada
Pelo som do amor
É a essência da minha vida
O meu gerador de calor...




Embriagada
Pelo pôr do Sol
Disfarçava a minha dor!



Abraçava a sua chegada
Do cantinho acolhedor...
Foi com um beijo da Lua
Que o novo Mundo abraçou!


Foi com o bailar das Estrelas
Que o meu colo encontrou...
De repente
Tenho um bebé no colo!

De repente
Tenho um bebé na escola!

De repente
Tenho o meu bebé...Grande!
Tudo de repente
E todos os dias!...

Concebida e gerada
Pelo som do amor
É a essência da minha vida
O meu gerador de calor...

4 comentários:

Pena disse...

Estimada Amiga:
Tem um blog adorável. Lindo.
Sente-se que escreve com o coração. E, isso, é maravilhoso.
Ficou-me esta frase num texto fantástico:
"Concebida e gerada
Pelo som do amor
É a essência da minha vida
O meu gerador de calor...".
Isto é tão profundo, importante e maravilhoso.
OBRIGADO pelo instante.
Adorei!
BJ amigos de estima, consideração e imenso respeito.

pena

maria paula disse...

Os nossos bebés grandes ainda precisam de "muito colo", neste mundo tão ingrato.
Querem trabalho, não há portas abertas.
Que país é este que adoece os nossos filhos , lhes tira o sorriso e os faz sentir infelizes?
E nós,pais que precisavamos nesta altura de tranquilidade que podemos fazer aos filhos a quem demos vida?
Dizer-lhes a toda a hora que isto vai mudar e eles serão os maiores?
Eles jã não acretidam no capuchinho vermelho, anda à solta o lobo mau e espreita-os em cada esquina.
Os nossos bébes grandes têem o direito de viver e só pedem que os deixem trabalhar.
Para uma sobrinha, "irmã" da tua,o melhor do Mundo, para os Pais muita saúde e paciência.
Beijinhos

Maria Soledade disse...

Paula, é esse colo de que precisam-apesar de bebés Grandes-que hoje falei a um amigo "virtual" mas muito querido.

Ontem resolvi dedicar-lhe este pequeno miminho,mesmo feito "em cima do joelho",para ela sentir que estou sempre ao seu lado.

Adoece-me vê-la triste, dia após dia,por não conseguir alcançar os objectivos que por direito lhe pertencem.

Tens razão,quando dizes que já não acreditam no "Capuchinho Vermelho", e quem na verdade existe é o "Lobo Mau".

Sabes que comungo a tristeza, a desilusão dos meus sobrinhos(Teus Meninos),pois vejo-os sempre de caras "fechadas",parece que o sorriso teima em não querer aparecer...

Temos de fingir que somos fortes, para eles se sentirem protegidos.
É esse o nosso papel de pais, protegê-los, até que voem em plena segurança...

Mana,obrigada por me "visitares" sempre.

Beijinhos

:-) :-) :-) :-) :-)-Muitos sorrisos para todos eles...

Ana Martins disse...

Querida amiga:
Hoje vim aqui encontrar um dos poemas mais belos que já li, e é com os olhos em lágrimas e um aperto no coração que te deixo o meu comentário.
Eu também sou mãe e vejo os meus filhos crescer num mundo de consumismo, onde os valores se perdem todos os dias, o que me deixa verdadeiramente preocupada. Em relação ao mercado de trabalho, já todos sabemos qual a situação do nosso País, mas os meus filhotes ainda são muito novos para começar já a ter essa preocupação. Desejo aos vossos "BÉBÉS GRANDES" tudo de bom e que todos os seus sonhos se concretizem.
Um beijinho,
Ana Martins